Mark Rothko

Nascido na Rússia, o pintor emigrou para os Estados Unidos no início do século 20 e se tornou um pioneiro do expressionismo abstrato. Seus mais conhecidos trabalhos, alguns dos quais estão em telas muito grandes, envolvem a justaposição de grandes áreas de cores em fusão.

VIDA E OBRA

Nascido em 25 de setembro de 1903 em Dvinsk, Rússia, e morto em 25 de fevereiro de 1970 em Nova York, EUA, Mark Rothko foi um pintor americano cuja obra introduziu a introspecção contemplativa na arte do pós-II Guerra Mundial. Um dos principais expoentes da escola expressionista abstrata, seu uso de cor como único meio de expressão levou ao desenvolvimento do chamado pintura "colour field" - campos de cor.

 

Em 1913 a família de Rothko emigra da Rússia para os EUA, onde se instala em Portland, Oregon. Durante sua juventude Mark se preocupa com a política e questões sociais. Ele entra em Yale University em 1921, com a intenção de se tornar um líder sindical, mas desiste depois de dois anos e percorre os EUA. Em 1925 ele se estabelece em Nova York e começa a pintar. Embora tenha estudado brevemente sob a tutela do pintor Max Weber, Rothko foi essencialmente autodidata.

Rothko trabalha inicialmente em um estilo realista que culminou em sua série chamada Subways no final dos anos 1930, mostrando a solidão de pessoas em ambientes urbanos monótonos. No início dos anos 1940 nascem as formas semi-abstratas, como por exemplo da série Baptismal Scene (1945).

 

Porém, em 1948, ele havia chegado a uma forma altamente pessoal do expressionismo abstrato. Ao contrário de muitos de seus colegas expressionistas abstratos, Rothko nunca usa tais técnicas dramáticas como pinceladas violentas, rápidas ou o gotejamento e respingo de tintas. Em vez disso, suas pinturas praticamente "sem gestos" alcançam seus efeitos pela sobreposição de grandes áreas de cores que aparentam flutuar paralelamente dentro do espaço da imagem. Rothko passou o resto da vida reinando esse estilo através da simplificação contínua.

Sem título (Metrô), óleo s/ tela, c. 1937 - Galeria Nacional (Washington)

Ele limita seus projetos a duas ou três formas verticais abstratas de bordas suaves que chegam a quase preencher uma parede inteira. Apesar do seu grande tamanho, no entanto, suas pinturas emanam uma notável sensação de intimidade através de um jogo de nuances. O uso que Rothko fazia da cor como meio único de expressão deu origem aos chamados "campos de cor", característicos de uma das vertentes do Expressionismo Abstrato. Mark Rothko suicidou-se em 25 de fevereiro de 1970. Boa parte de sua obra encontra-se hoje na Galeria Nacional de Washington.

Nº 3/Nº 13 (Magenta, preto e verde sobre laranja), óleo s/ tela, c. 1950 - Galeria Nacional (Washington)

Nº 61 (Ferrugem e azul), óleo s/ tela, c. 1953 - Museu de Arte Contemporânea (Los Angeles)

Sem título (Violeta, preto, laranja e amarelo sobre branco e vermelho), óleo s/ tela, c. 1949 - Museu Guggenheim (Nova York)

de John Logan